0
  • Carrinho vazio

    Você não tem nenhum item no seu carrinho de compras

0
  • Carrinho vazio

    Você não tem nenhum item no seu carrinho de compras

Digite a palavra chave

post

Como a virtude do sentimento de proteção divina pode ajudar você em momentos desafiadores

Como a virtude do sentimento de proteção divina pode ajudar você em momentos desafiadores

Neste artigo, refletiremos sobre como a virtude do sentimento de proteção divina pode ajudar você em momentos desafiadores como esses da pandemia do coronavírus (Covid-19) e das consequências econômicas que serão desencadeadas pela pandemia.

Para entender como funciona a virtude do sentimento de proteção divina, vamos refletir como a Psicologia Consciencial concebe a existência de Deus.

A concepção de Deus na Psicologia Consciencial não é teológico-dogmática. Vemos Deus como o Arquétipo Primordial, ou seja, a Energia Criadora que deu origem a tudo que existe no Universo.

Reflitamos sobre essa concepção a partir da lógica e do bom senso.

O Universo, que, pelos cálculos atuais da ciência na Terra, possui dois trilhões de galáxias extremamente complexas como a Via-láctea, surgiu do acaso sem a intervenção de uma energia criadora, diz a ciência materialista.

Essa explicação materialista para a origem do universo é lógica e racional?

Tudo que existe no Universo, no entanto, é regido por leis naturais.

De onde vieram as leis da natureza?

A maioria dos cientistas tem profundo respeito por essas leis.

São elas que tornam a ciência possível, inteligível e lógica.

As atividades científicas são resultantes, na verdade, das descobertas do funcionamento dessas leis, como as leis da gravitação universal, as leis da termodinâmica, as leis da química, da biologia e centenas de outras.

Existem leis que seguem constantes matemáticas precisas e complexas.

Como é possível tamanha precisão?

Os cientistas materialistas postulam uma quantidade impressionante de acontecimentos acidentais, que se encadeiam uns aos outros por meio do acaso, é que produziu tudo o que existe na natureza.

Contudo, como é possível um acaso inteligente que cria constantes matemáticas muito trabalhosas até para se desvendar?

Por que o Universo é organizado da forma que é se ele surgiu de uma grande explosão que aconteceu por acaso?

Como pôde uma explosão dar origem a um todo organizado, que funciona assim porque existem leis naturais, sem uma causa inteligente a organizar esse todo?

O que conhecemos do acaso é que ele não gera organização, portanto o Universo deveria ser formado por substâncias amorfas, aglutinadas de maneira fortuita e não por galáxias complexas.

Isso é o que se esperaria de uma atividade aleatória, mas não é o que ocorre.

É exatamente o contrário; o Universo é altamente organizado por meio de leis.

Como um Universo organizado poderia surgir do nada e, casualmente, ter as leis necessárias para a sua existência?

Esse padrão parece totalmente contrário à tendência à desorganização que normalmente vemos a partir de fenômenos da natureza, como os tornados, as tempestades e os furacões.

Os elementos tendem a se desorganizar e não a se organizar ainda mais sob a ação das intempéries.

Quando um furacão atinge uma região, tudo tende a se tornar muito desorganizado.

Será que alguém em sã consciência diria que um furacão ou um tornado passando por um ferro velho pode construir, com as partes de um carro que se encontram nele, um automóvel pronto para funcionar?

É claro que não, diria o mais ferrenho materialista.

Um automóvel é um fenômeno inteligente de uma causa inteligente, o homem.

Mas será que um veículo é mais complexo que uma galáxia?

O acaso gerando algo organizado como o Universo após uma grande explosão seria semelhante a uma explosão de um dicionário gerar um romance, ou mesmo um simples conto, artigo ou poesia. Seria isso possível?

Não é possível explicar o Universo material pelo acaso, a não ser de uma maneira dogmática, incompatível com a verdadeira ciência.

Agora, imaginemos o funcionamento de todos os fenômenos inteligentes que a consciência e a mente humana produzem; seria também fruto do acaso e da agregação aleatória da matéria cerebral?

A lógica e o bom senso dizem que não; isso seria impossível.

Por isso, a Psicologia Consciencial é profundamente teísta, ou seja, a ideia coloca-se a ideia de Deus como uma Energia Cósmica criadora de todo o Universo.  

Tendo como base essa visão de Deus é que a Psicologia Consciencial recomenda que todos nós desenvolvamos duas virtudes básicas para nos conectarmos com a Energia Cósmica geradora do amor que organiza todo o Universo.

Essas virtudes são o sentimento de filiação divina e o sentimento de proteção divina.

O sentimento de filiação divina é uma virtude básica para todas as demais virtudes, pois não é possível desenvolver as demais sem sentir que as virtudes já existem em nós de forma latente como sementes divinas em nossa intimidade.

É o sentimento de filiação que faz com que sintamos que somos espíritos imortais e filhos de Deus.

O sentimento de proteção divina é a virtude básica decorrente da anterior, porquanto quando nos sentimos filhos de Deus, sentimos a sua proteção.

Esta virtude faz com que nos sintamos protegidos pela Providência Divina e nos liberta de uma série de sentimentos egoicos.

Na oração do Pai Nosso Jesus no ensina essas duas virtudes.

Reflitamos sobre o próprio título da oração. Quando dizemos Pai nosso remetendo-nos ao sentimento de filiação divina.

Ao iniciar a oração com o Pai nosso Jesus nos ensina que há um profundo sentimento de amor Paterno por tudo aquilo que existe.

Todo o Universo é criado por Deus.

Você vai gostar de ler: O COMBATE DE MICRORGANISMOS COMO O CORONAVÍRUS E A ENERGIA DOS CHAKRAS

Há uma ordem perfeita em tudo, uma Lei cósmica que equilibra tudo, que regula tudo em causa e efeito, representando o arquétipo Paterno.

Estamos todos imersos no colo paternal e nutridor  de Deus.

É chegado o momento para a Humanidade sentir Deus nos colocando no Seu Colo afetuoso para senti-lo em Espírito e em Verdade como Jesus nos ensinou: Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. (João, 4:23 e 24)

que estás nos céus

Por que Jesus diz céus no plural?

Deus está em toda a parte.

Todo o Universo está mergulhado em Deus.

Deus é a Grande Energia Inteligente e Criadora de tudo o que existe, que permeia tudo e que provê a todo o Universo, conforme Jesus nos ensina em Mateus 6: 26 a 30  e 10:30: Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas?

E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura?

E, quanto ao vestuário, porque andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham, nem fiam.

E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.

Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pequena fé?

E até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados.

Deus, como nos ensina Jesus, se manifesta de forma profunda desde a mais ínfima expressão de vida até as, para nós, desconhecidas manifestações na grandeza do Universo.

Todos nós somos convidados a confiar na Providência e na Previdência Divinas, transcendendo a desconfiança que ainda nos caracteriza.

Para isso é fundamental revermos a ideia do Deus circunscrito num céu hipotético.

Na cultura ocidental quando ouvimos a primeira sentença da oração Crística, automaticamente o hábito mental nos leva a pensar na antiga ideia que Deus está no céu.

O céu ficou consagrado em nossa cultura como a casa de Deus.

Por isso é difícil pensarmos outro lugar que não seja o céu para encontrarmos o Pai cósmico.

Entretanto, podemos aprofundar nossa percepção e veremos algo completamente diferente da dimensão geográfica do céu, veremos a dimensão atemporal de Deus. 

Quando observamos na natureza, o equilíbrio das obras de Deus, uma engrenagem que se movimenta de maneira harmônica entre todas as criações do Universo, logo percebemos que existe a presença de uma inteligência superior, perfeita e onipotente que organiza todas as coisas, logo, essa inteligência não podendo ser força de um indivíduo limitado, porque alcança as dimensões ilimitadas e somente algo ilimitado pode dar conta de tudo, afirmamos que esse algo ou inteligência é Deus.

Leia também: A FORÇA INTERIOR QUE VOCÊ PODE USAR EM MOMENTOS DESAFIADORES 

De fato, Deus mostra Sua presença em todas as criações e criaturas, mesmo aquelas situadas nos reinos primários da criação.

Assim sendo, sabendo que Deus também vibra em nós, porque somos filhos de Deus e carregamos o gene divino que somos nós em essência, não é do céu geográfico que Jesus fala.

Se Deus está no céu e não está aqui e agora então o que será de cada criatura de Deus?

Como nos sentirmos amparados se não estamos com Deus?

Obviamente todo Universo está imerso na presença de Deus.

Foi Ele quem criou o Universo.

Um local privativo para confinar a presença de Deus deixaria todo o resto do Universo desprotegido.

Então, que céu é esse que o Cristo se reporta? 

A sentença é muito interessante, ela começa dizendo Pai nosso que estais nos céus.  

Deus está realmente em algum lugar.

Jesus afirma isso.

Ele diz que o Pai está em algum lugar, diz que Ele está nos céus, mas se não é em um lugar geográfico, que lugar Ele está?

Deus está no agora, no sempre presente, o eterno agora.

O céu não é um lugar, é uma dimensão atemporal: o agora.

Deus está dentro de você!

Veja: você, enquanto Essência Divina, está sempre no agora!

É claro que Ele não está acrisolado em você, afinal Ele vibra em todas as outras criaturas, mas Ele também está no seu eterno agora.

Dentro e fora de cada criatura.

E o que é que pode estar dentro e fora de tudo? O agora.

Essa dimensão é não temporal, não é possível saber onde está o agora.

Por isso, o agora é o céu.

Só é possível estar nele, agora.

Se tentarmos medir o agora ele já se foi, virou passado ou foi para frente, virou futuro.

O passado e o futuro podem ser mensurados.

O agora não pode, assim como os céus não podem ser mensurados.

A casa de Deus é o eterno presente em todas as coisas.

Deus não está no passado nem no futuro.

Deus está no sempre agora.

Por isso, Jesus disse que Ele está nos céus.

Se Deus estiver no passado e também estiver no agora, então existem dois “Deuses” e isso é inadmissível!

Deus está em todos os lugares ainda que esteja somente em um e a única dimensão que está em todos é o agora.

O agora é o mesmo para todos.

O passado não é o mesmo, o futuro também não, mas o agora sim.

É isso que chamamos de estado Crístico.

Um dos atributos de Deus é a imutabilidade, ou seja, Ele nunca está sujeito a qualquer mudança.

Ele nunca se modifica.

Quaisquer criação ou criatura do Universo estão submetidos às leis do tempo, quer ele seja conforme o conhecemos ou não.

Basta que a criatura esteja associada à lei de evolução para que ela possa realizar esse progresso em algum tempo mais ou menos longo.

Dessa forma, buscarmos a presença de Deus em algum lugar significa buscarmos a Sua presença no agora em nós e em torno de nós.

Você vai gostar de ler: COMO CONQUISTAR A SAÚDE TRANSFORMANDO A ENERGIA MENTAL

Quando entendemos que Deus está em nós neste exato momento, neste sempre exato momento, é possível entender como funciona a proteção divina, ou seja, lhe fortalecendo agora, para lidar com todas as experiências-desafio que você passar, a partir do momento em que você se liga a Ele em espírito e verdade.

Se gostou do artigo, compartilhe-o. Deixe o seu comentário sobre o que você achou deste artigo, ou a sua pergunta, se tem alguma dúvida. Sugestões de temas para futuros artigos também são bem-vindos!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Olá!
Precisa de ajuda?
Powered by