0
  • An empty cart

    You have no item in your shopping cart

0
  • An empty cart

    You have no item in your shopping cart

Enter your keyword

post

Como as crises emocionais podem nos ensinar a ter autocontrole

Como as crises emocionais podem nos ensinar a ter autocontrole

Quando uma pessoa não busca realizar esforços para desenvolver a inteligência emocional por meio do autoencontro gerador do autodomínio, mais cedo ou mais tarde entrará numa crise emocional.  

As crises emocionais surgem a partir das emoções egoicas negativas que produzem conflitos conscienciais. 

Comumente, quando surgem os conflitos conscienciais, a pessoa tende a ignorá-los, fugindo deles ou acomodar-se a eles. Em virtude disso, os fatores que constituem os conflitos vão se ampliando até que se dá a crise emocional. 

Semelhante a um rio, cujo curso obstaculizamos por meio de uma represa sem um vertedouro. Vai haver um momento em que a água transborda ou rompe a represa.  

No ser humano ocorre o mesmo; adia-se a resolução dos conflitos até que acontece a crise, sob a forma de doenças físicas ou mentais como depressãoa síndrome do pânico, ansiedade generalizada etc. 

Quando o indivíduo percebe as coisas de forma imatura sem buscar o autoconhecimento, se tiver uma tendência reativa, entra num estado de revolta no qual tenta achar culpados pelo seu estado. Ele pode culpar a si mesmo, pessoas da sua convivência, o governo, a sociedade etc.  
Se for uma pessoa com tendência passiva, fica se lamentando, esperando que alguma coisa venha a acontecer. De qualquer maneira, a pessoa não assume a responsabilidade sobre a sua vida e continua fugindo do autoencontro que a libertará das crises. 
Quando o indivíduo já possui uma percepção madura dos fatos, ele analisa o conflito com responsabilidade, buscando o autodescobrimento.  

Você também pode gostar:A importância do autoconhecimento para desenvolver a inteligência emocional

A pessoa realiza o autoencontro aceitando que tem esses conflitos, mas que pode aprender com eles e resolve-los. A partir da aceitação, ela oportuniza uma transformação interior para melhor, por meio do autoamor, e com isso resolve os conflitos e liberta-se das crises. 
O processo de autoencontro vai lhe trazer um estado de saúde integral, saúde do corpo, da mente, das emoções.  
Para a conquista desse estado é fundamental que uma atitude de mudança seja implementada para que a pessoa possa transmutar os sentimentos negativos que são os obstáculos do autoencontro, isto é, do encontro consigo mesmo em essência.  
Para conseguir esse intento, não basta querer desenvolver o autodomínio; é necessário querer mudar os fatores que impedem o fluir da plenitude, o que requer uma vontade ativa para vencer a inércia de permanecer na forma como se está.  
O indivíduo é convidado a confiar na própria capacidade de mudar, por meio de um esforço continuado, paciente, perseverante e disciplinado e ter, sobretudo, muita coragem para conquistar o que quer para sua vida 
 
Deixe o seu comentário sobre o que você achou deste artigo, ou a sua pergunta, se tem alguma dúvida. Sugestões de temas para futuros artigos também são bem-vindos! 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Olá!
Precisa de ajuda?