0
  • Carrinho vazio

    Você não tem nenhum item no seu carrinho de compras

0
  • Carrinho vazio

    Você não tem nenhum item no seu carrinho de compras

Enter your keyword

post

Como se libertar da ansiedade de consciência

Como se libertar da ansiedade de consciência

Todos nós estamos no mundo para cumprir um objetivo que denominamos em Psicologia Consciencial de propósito existencial, o qual existe em função da capacidade de sermos co-criadores em sintonia com a Consciência Cósmica Criadora da Vida.

A finalidade maior de nossa vida constitui em sermos colaboradores de Deus, contribuindo para a construção de um mundo mais feliz e harmonioso.

Somente por meio do amor podemos criar em torno de nós um mundo melhor, começando pelo nosso próprio mundo interior.
Poderíamos dizer que esse é o propósito existencial de todo ser humano.
Ele será realizado de uma maneira própria, individualizada, pois somos seres únicos e temos uma particularidade que faz com que cada pessoa tenha um propósito todo pessoal. O objetivo, porém, é o mesmo, na essência: ser co-criador do amor em todas as nossas ações.
Quando estamos sintonizados com esse propósito existencial, toda a nossa vida torna-se criativa.
Para sermos co-criadores somos convidados a entrar em contato com a nossa competência essencial oriunda da energia de amor que somos.

Quando sintonizamos com esse amor, tudo flui dentro e em torno de nós.

Para que isso se dê, é fundamental a sintonia com nós mesmos em Essência, para, a partir daí, sintonizarmos com a Consciência Cósmica Criadora, permitindo que o fluxo criativo se torne realidade.
Esse mecanismo está à disposição de todos nós. Somos essencialmente co-criadores, pois nascemos no mundo para cumprir o propósito de realizar a nossa evolução, direcionando a nossa vida para o amor, para o bom, para o bem, para o belo, criando dentro e em torno de nós um estado de harmonia e percebendo com isso o verdadeiro sentido da vida.
Em cada existência vamos realizando essa evolução, efetivando experiências que concorrem para o aprimoramento de um determinado aspecto de nossa vida. Em uma, podemos desenvolver a inteligência; em outra, a bondade; em outra, a humildade; em outra, ainda, a sabedoria etc. Com isso estaremos realizando a nossa missão transpessoal: evoluir até a plenitude do ser.
Quando estamos dessintonizados do nosso propósito existencial, interrompemos a nossa ligação com o fluxo criativo do Universo, resultando num estado de desarmonia, de dessintonia com a Energia Cósmica Criadora.

Você também vai gostar de ver: Como as crises emocionais podem nos ensinar a ter autocontrole

Isso estará representando uma desconexão com o verdadeiro sentido da nossa vida, gerando em consequência a infelicidade, a insatisfação, a falta de plenitude.
Podemos afirmar que uma pessoa nesse estado não vive, vegeta. A ausência de um ideal criativo a mata psicologicamente, gerando a falta de conexão com o Ser Essencial co-criador que ela é.
Mesmo que ela seja alguém muito produtiva, que consiga ter criatividade em suas atividades, a ausência de conexão a impede de sentir-se plena com aquilo que realiza.
Ela não se torna uma colaboradora do Criador do universo, até que desperte para o verdadeiro sentido da sua vida.
Torna-se fundamental, portanto, a conexão com o nosso propósito existencial para que possamos sentir a abundância da vida, agindo como co-criadores de nossa vida e, por ressonância, da vida no Cosmos.
Quando conectados com essa visão da vida Cósmica, o nosso mundo íntimo se torna melhor e o Mundo um lugar melhor.
Quando nos defrontamos com um objetivo, queremos logo realizá-lo ansiosamente. Esse sentimento egoico de ansiedade de consciência gera um movimento de forçar a realização do propósito.
É um movimento que normalmente tem o seguinte padrão de crença limitadora: eu tenho que fazer isto, ou eu preciso realizar isto, o que pressupõem uma obrigação e não uma conscientização.
Todas as vezes que nos forçamos, obrigando-nos egoicamente a algum objetivo, que achamos que temos que realizar, o ego reage, determinando exatamente o contrário daquilo que desejamos, num movimento de autossabotagem.

Você também vai gostar de ver: Ansiedade, será que tenho?

Essa reação do ego será caracterizada pela acomodação e não-realização do objetivo na polaridade passiva. No extremo oposto da polaridade reativa, acontece uma reação manifestada por meio de ansiedade, raiva, revolta etc., como se o indivíduo tivesse que lutar arduamente para realizar o objetivo que deseja, resultando num gasto muito pronunciado de energia.
Na realidade esse movimento egoico impedirá o indivíduo de efetuar seu propósito, pois ele estará se afastando do princípio do amor que existe em si mesmo.
Portanto, somos convidados a exercitar a virtude do autoamor para que possamos realizar o grande propósito de nossas vidas com base na autoconsciência e na serenidade consciencial e, com isso, sermos felizes.
Deixe o seu comentário sobre o que você achou deste artigo, ou a sua pergunta, se tem alguma dúvida. Sugestões de temas para futuros artigos também são bem-vindos!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Olá!
Precisa de ajuda?