0
  • Carrinho vazio

    Você não tem nenhum item no seu carrinho de compras

0
  • Carrinho vazio

    Você não tem nenhum item no seu carrinho de compras

Digite a palavra chave

post

Objetivo de vida: 12 passos simples para você alcançar o seu

Objetivo de vida: 12 passos simples para você alcançar o seu

Para que você possa viver uma vida repleta de sentido existencial é imprescindível que aprenda a formular objetivos, de modo que você tenha um método eficaz para lidar com as dificuldades naturais da vida.

As condições para uma boa formulação de objetivos de vida são as seguintes:

1. Os objetivos devem ser expressos em termos positivos, de forma bastante específica

Você vai desenvolver aquilo que quer e não o que não quer.

Objetivos como estes: não quero mais sofrer; nunca mais quero me sentir assim; não posso ser desse jeito etc. apenas tentam negar as negatividades, e como a nossa mente não aceita a negação somente reforçam o estado negativo.
Não é possível negar os sentimentos egoicos negativos, porquanto eles continuarão existindo de forma mascarada.
Objetivos como estes: quero ser feliz; quero ficar em paz são muito inespecíficos e não definem claramente como a pessoa vai conquistar a paz ou a felicidade.
Não basta querer ser feliz ou ter paz, é necessário um trabalho que envolva um esforço continuado, paciente, perseverante e disciplinado para conquistar esses sentimentos.
Você deve, então, formular o seu objetivo desta forma: Eu quero conquistar a minha felicidade, desenvolvendo a crença que eu mereço ser feliz.
Eu quero desenvolver a felicidade, transformando as limitações que tenho por meio de uma busca constante de autoconhecimento, autodomínio e autotransformação.
Eu quero conquistar a minha paz, desenvolvendo as virtudes da paciência, da tolerância e da serenidade no dia a dia.

2. Os objetivos devem estar centrados na própria pessoa

Você só pode mudar a sua maneira de agir e não de outras pessoas; a sua mudança não poderá estar condicionada à mudança de outras pessoas ou situações.

Lembre-se que você está desenvolvendo os objetivos de sua vida.
Objetivos como estes são inadequados porque dependem de ações de outras pessoas e isso você não tem domínio: Só vou estar bem se o meu marido/esposa/filho parar de agir dessa maneira.

Você também vai gostar de ver: 12 dicas para desenvolver a virtude da resiliência como objetivo de vida

Só vou ser feliz quando conseguir que João me ame.
Quando Teresa mudar as atitudes dela, vou poder ser como quero.

3. Saber quais são as evidências específicas que estarão sinalizando que você está cumprindo com os objetivos

Em termos práticos é saber definir bem o estado interior que determina se você está ou não cumprindo com seus objetivos.

Saber as evidências é importante para termos parâmetros de avaliação.
Normalmente o estado de quem está cumprindo os seus objetivos de vida é de harmonia, paz, tranquilidade, alegria interior, plenitude.
A pessoa sente-se bem com ela mesma.
O contrário acontece quando a pessoa não está cumprindo o seu propósito. O estado interior é de desarmonia, angústia, intranquilidade, inquietude, desassossego.

4. Todos os objetivos devem estar em algum contexto

Este item tem a ver com a especificidade do primeiro.
É importante que você saiba onde, quando, como etc. você vai realizar os seus objetivos.

5. Todos os objetivos devem ser ecológicos

Aquilo que você busca na vida deve estar alinhado com o propósito maior do Ser, dentro da ética do amor.
Você somente conseguirá realizar o seu propósito existencial se estiver em sintonia com o amor que rege o cosmos, sendo um colaborador para a realização desse amor que começa em você e, a partir de você, se irradia para todos os seres do universo.

6. Todos os objetivos devem ser possíveis de serem realizados

Você deve poder realizá-los gradualmente, o que significa que você deve fazer uma coisa de cada vez, cultivando o esforço continuado, a paciência, a perseverança e disciplina na realização de cada um deles.

Normalmente quando as pessoas se lançam a realizar os objetivos de vida buscam fazer muitas coisas ao mesmo tempo, numa atitude de ansiedade em querer realizá-los.
Elas se forçam a realizar os objetivos, ao invés de se esforçar, ato que pressupõem a paciência e a perseverança. Com isso, cansam-se e decepcionam-se consigo mesmas, pois, como não conseguem efetivá-los, logo desistem, dizendo que é muito difícil e não conseguem fazê-lo.

Você também vai gostar de ver: Como surgem os conflitos emocionais e como solucioná-los

É fundamental realizar uma coisa de cada vez, de modo a tornar possível o objetivo, tendo sempre perseverança nas ações, conseguindo um pouco hoje, mais amanhã e assim cumprir tranquilamente o seu propósito de vida.
Para isso, é imprescindível transformar os objetivos amplos em vários pequenos objetivos, que vão ser realizados um a um.

7. Ter disposição em se libertar dos ganhos fictícios, secundários

Para que possamos realizar um objetivo, é necessário estarmos dispostos a “perder” tudo aquilo que nos leva a fugir de nós mesmos e a responsabilizar os outros pelas nossas dificuldades ou pela nossa felicidade ou ausência dela.

Por exemplo: uma pessoa que está sempre com dificuldades físicas e emocionais coloca-se como vítima das circunstâncias e gera a solicitude dos outros em relação aos seus problemas devido à piedade que desperta neles.
Ganhar essa solicitude é denominado em Psicologia Consciencial de “ganho secundário”, isto é, um ganho fictício, pois, na realidade, a pessoa apenas perde com essa atitude.
Ela está sempre dependendo das migalhas de piedade que vêm dos outros.
É necessário assumir a responsabilidade pela sua vida e conseguir, com isso, ganhos reais que o enriqueçam interiormente.

8. Definir claramente o que ganha com a realização dos objetivos

Tem relação com o item anterior. A pessoa deve refletir sobre todos os benefícios reais que ela estará ganhando quando realizar o seu objetivo.

9. Perceber o que impede a pessoa de realizar os objetivos

Esses fatores serão conhecidos por meio do autoconhecimento que proporciona o autodomínio e a autotransformação, isto é, a percepção em si mesmo das limitações para poder transmutá-las, transformando fatores impeditivos em alavancas valiosas de impulsionamento ao crescimento.
Comumente, o que nos impede são os ganhos secundários, a formulação de objetivos negativos e a não especificação dos pequenos objetivos para torna-los possíveis de serem realizados.

10. Ter disposição para desenvolver os recursos necessários para se realizar o objetivo

É importante lembrar que existem os recursos internos e os externos.
Buscar, por meio do autoconhecimento, as qualidades essenciais que devem ser desenvolvidas para diluir os sentimentos egoicos negativos evidentes e mascarados que impedem a realização do propósito
Utilizar recursos como terapia, cursos de autoconhecimento etc., com o objetivo de se aprimorar interiormente.

11. Desenvolver a responsabilidade e a flexibilidade

Ao realizar um objetivo há sempre duas possibilidades: acertar ou errar.
A flexibilidade e responsabilidade devem acontecer quando ocorre um erro.
Ao errar você deve ter sempre a atitude de responsabilidade e jamais a de se culpar pelo erro. A ação responsável lhe ajudará a aprender com o erro e repará-lo.
Deve-se também buscar, por meio a flexibilidade, estabelecer alternativas para cada passo a ser dado na realização do objetivo.
Ao errar, sempre se perguntar o que aconteceu para que esse erro ocorresse. A flexibilidade estará permitindo sempre refletir sobre o equívoco para aprender com ele, buscando acertar na próxima vez; a responsabilidade leva o indivíduo a reparar as consequências do erro, tantas vezes quantas forem necessárias.

12. Efetivação dos objetivos

É importante, para manter o seu ideal de vida, trabalhar diariamente pelos objetivos definidos para realizá-lo.
É importante lembrar que para a efetivação de qualquer objetivo será necessário o esforço continuado, paciente e perseverante e disciplinado
Fundamental, portanto, viver um dia de cada vez, estando plenamente consciente do seu propósito em tudo o que faz, buscando sempre o verdadeiro sentido da sua vida.
Se gostou do artigo, compartilhe-o. Deixe o seu comentário sobre o que você achou deste artigo, ou a sua pergunta, se tem alguma dúvida. Sugestões de temas para futuros artigos também são bem-vindos!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Olá!
Precisa de ajuda?
Powered by