0
  • Carrinho vazio

    Você não tem nenhum item no seu carrinho de compras

0
  • Carrinho vazio

    Você não tem nenhum item no seu carrinho de compras

Enter your keyword

post

Saiba superar as suas crises emocionais como raiva, ciúmes e timidez

Vivemos hoje um momento de profunda crise em nossa sociedade. Crises coletivas e individuais as mais variadas, que vão desde as crises econômicas até crises emocionais. Analisando-se todas essas crises a partir de uma visão psicológica consciencial percebe-se que por trás de todas elas, mesmo as econômicas, encontra-se uma profunda crise de valores ético-morais, na qual o desamor caracteriza tanto as ações intrapessoais como as interpessoais.

Para que as crises sociais sejam superadas faz-se necessário a superação das crises individuais por meio do autoencontro, ou seja, encontrar a Essência divina em nós mesmos.

As crises emocionais surgem a partir das emoções em conflito, tais como complexos de inferioridade e de superioridade, narcisismo, agressividade, culpa, autopiedade, timidez, ciúme, inveja, tristeza, ansiedade etc.

Comumente quando surgem os conflitos a pessoa tende a ignorar, disfarçar, reprimir, fugir, autocondenar-se, justificar, enfim se acomodar aos mesmos, sem resolvê-los. Em virtude disso os fatores que constituem os conflitos vão se ampliando até que se dá a crise.

Leia ainda: A causa que mais leva a depressão, saiba como lidar com o sentimento de culpa

Semelhante a um rio no qual obstaculizamos o seu curso através de uma represa sem um vertedouro. Vai haver um momento em que a água transborda ou rompe a represa. No ser humano ocorre o mesmo fato; adia-se a resolução dos conflitos até que acontece a crise, sob a forma de doenças físicas ou mentais como a depressão, o transtorno do pânico, a ansiedade generalizada, as fobias etc.

Quando o indivíduo percebe as coisas de forma imatura sem buscar o autoconhecimento, ele entra num estado de revolta na qual tenta achar culpados pelo seu estado doentio. Ele pode culpar a si mesmo, pessoas da sua convivência, o governo, a sociedade etc. A pessoa não assume a responsabilidade sobre a sua vida e continua fugindo do autoencontro que a libertará das crises.

Quando o indivíduo já possui uma percepção madura dos fatos, ele analisa o conflito com responsabilidade, buscando o autodescobrimento. A pessoa realiza o autoencontro aceitando que possui limitações, e sabe também que elas são transitórias. A partir da aceitação ela oportuniza uma transformação interior para melhor por meio do autoamor e com isso resolve os conflitos e liberta-se das crises.

O Processo

Este processo de autoencontro vai lhe trazer um estado de saúde integral, saúde do corpo, da mente, das emoções. Para a conquista desse estado é fundamental que uma atitude de mudança seja implementada para que a pessoa possa transmutar os sentimentos egoicos evidentes ou mascarados que são os obstáculos do autoencontro.

Para conseguir esse intento não basta querer desenvolver a saúde, a pessoa é convidada a querer mudar os fatores que impedem o fluir da plenitude, isso requer uma vontade ativa para vencer a inércia de permanecer da forma como se está. O indivíduo deve confiar na própria capacidade de mudar, por meio do esforço continuado, paciente, perseverante e perseverante e, sobretudo, muita coragem, determinação e vontade para conquistar o que almeja.

Fundamental, portanto, que cada um que quer desenvolver a saúde integral: do corpo, da mente e do Espírito possa começar um trabalho de autoconhecimento. Dispomos hoje em dia de uma infinidade de meios para esse mister, como as psicoterapias, livros e cursos de autoconhecimento, que dão oportunidade dessa busca a todos que querem viver de forma saudável.

Espero ter ajudado! Se gostou desse artigo não deixe de compartilhar

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Olá!
Precisa de ajuda?