0
  • Carrinho vazio

    Você não tem nenhum item no seu carrinho de compras

0
  • Carrinho vazio

    Você não tem nenhum item no seu carrinho de compras

Digite a palavra chave

post

Como lidar com a angústia em tempos de Coronavírus

Como lidar com a angústia em tempos de Coronavírus

Neste artigo, vamos abordar como se origina o sentimento de angústia que muitas pessoas têm sentido devido à impotência que sentem devido à pandemia do novo coronavírus, o covid-19, e como você pode lidar com esse sentimento, desenvolvendo virtudes como o autoamor, o poder de realização, a serenidade, a aceitação, o desprendimento e a compaixão.

Vamos ao artigo:)-

Estamos passando por um dos períodos mais desafiadores da história da Humanidade.

Alguns analistas têm comparado este período com a segunda guerra mundial, tal é a repercussão que a pandemia tem causado, tanto emocionais  quanto econômicas.

Em situações como essas é muito comum sentir emoções como a angústia, a ansiedade, a insegurança, a impotência, dentre outras.

A maioria das pessoas não sabe como lidar com isso, tornando este momento ainda mais desafiador, porque além do problema de dimensões planetárias, da quarentena quase que obrigatória, ficam envolvidas por uma energia mental tóxica proveniente dos pensamentos e sentimentos negativos.

Então, sabendo do problema, qual é a solução?

Para lidar com uma questão emocional o primeiro passo é você reconhecer que o problema existe em você e querer se libertar dele.

O segundo passo é o conhecimento, tanto o autoconhecimento para saber como ele se manifesta em você, quanto o conhecimento do mecanismo pelo qual a angústia surge.

A angústia, na visão da Psicologia Consciencial, é uma constrição no peito produzida pela inibição do quarto chakra, o do amor e da compaixão.

 A pessoa que sente angústia sente como se uma mão estivesse apertando o seu peito por dentro. Essa sensação pode ser em maior ou menor intensidade.

Os chakras são centros de força que existem no corpo fluídico do Espírito, que aglutinam a nossa energia mental, muito estudada pela medicina chinesa, com os conhecimentos da acupuntura.

A título de curiosidade a acupuntura é um sistema de tratamento, que utiliza microchakras na pele que se comunicam com os sete chakras principais do corpo fluídico, por meio de filamentos de energia chamados meridianos.

Mas de onde vem essa constrição expressada pela angústia? Vem do sentimento de impotência diante de tudo o que está acontecendo durante a pandemia.

Vamos refletir sobre como esse processo acontece para que possamos conhecer o mecanismo psicológico que gera o problema e, a partir disso, cada um de nós possamos buscar solucioná-lo em nós mesmos.

A impotência é um sentimento que surge a partir de outro sentimento a pseudo-onipotência.

A pseudo-onipotência não passa de um desejo no qual a pessoa gostaria de ter um superpoder e, no caso, de fazer com que tudo o que está acontecendo durante a pandemia não acontecesse.

A pessoa quer ter um poder sobre as coisas externas e sobre o futuro.

Por exemplo, se ela vê alguém passando por sofrimentos por causa do coronavírus na Itália, na Espanha ou qualquer outro lugar ela gostaria que esse sofrimento acabasse.

Na questão do tempo ela gostaria de antecipar o futuro para saber se nada vai acontecer com ela e com seus entes queridos em relação à epidemia.

No que tange aos problemas econômicos, que estão sendo gerados pela pandemia, a pessoa se angustia por desejar ter um poder de acabar com esses problemas, tanto os seus quanto de outras pessoas.

Enfim, são muitas as situações que poderíamos elencar, que muitos de nós gostaríamos de ter um superpoder para poder acabar com tudo o que está acontecendo.

É claro que ninguém tem esse poder.

Somente Deus é onipotente e também onisciente e está protegendo todos nós, não tenhamos dúvidas disso. Contudo, Ele protege por meio de ações que não temos como entender no nível evolutivo em que estamos.

O resultado desse desejo de onipotência é a impotência, na qual a pessoa se sente incapaz de qualquer ação.

A pessoa que deseja controlar tudo, mas, ao obter como resultado o contrário, reage de forma oposta ao movimento que vinha ocorrendo até então.

Passa a pensar que não pode nada, que não é capaz de controlar nada, que não consegue nada na vida etc., gerando a impotência.

Entretanto, a impotência também é uma forma falsa de se exercer o poder, pois ninguém é tão incapaz para não ter poder nenhum.

Somos convidados a exercitar a virtude do poder de realização, que tem ligação com outra virtude, que é a aceitação.

Aceitar que não temos um superpoder para interferir no que está acontecendo no mundo, no que vai acontecer no futuro quanto à doença, seja para nós seja para um ente querido, no que vai acontecer em termos econômicos etc.

A partir dessa aceitação somos convidados a centrar naquilo que temos poder.

Temos poder sobre o que nós fazemos no tempo presente, aqui e agora.

Podemos escolher, neste momento, fazer tudo o que estiver ao nosso alcance desde os cuidados higiênicos relacionados ao contágio do vírus, mas principalmente os cuidados com a nossa energia mental.

Você vai gostar de ler: COMO SUPERAR O MEDO EM MEIO À PANDEMIA DO CORONAVÍRUS

Para cuidar da sua energia mental é fundamental você fazer exercícios de aceitação daquilo que você pode e do que você não pode.

Você deve fazer a si mesmo(a) duas perguntas básicas muito simples: O que posso? O que eu não posso? Apesar de muito simples são poucas pessoas que fazem essas perguntas.

Por isso, o desejo de onipotência é muito comum e gera muita angústia.

Em relação ao que você não pode, você é convidado(a) a exercitar outra virtude: o desprendimento, para se desprender daquilo que você não tem poder, aceitando esse fato.

Após isso, você deve focar naquilo que tem poder, ou seja, nas ações que dizem respeito a você mesmo(a) e no aqui e agora.

Em relação ao que está acontecendo no mundo você tem o poder de exercitar a virtude da compaixão.

A compaixão é a virtude que, juntamente com o amor, equilibra o quarto chakra que fica constrangido durante a angústia gerada pelo desejo de onipotência.

Você deve exercitar a compaixão primeiramente por você, para asserenar o seu coração, acolhendo-se com os seus sentimentos negativos, mas fazendo visualizações terapêuticas para diluir esses sentimentos.

Você pode fazer um exercício simples de visualização terapêutica.

Primeiro você deve relaxar o seu corpo concentrando-se em sua respiração.

Depois que estiver relaxado(a) imagine uma luz entrando pelo topo de sua cabeça e se concentrando no centro do seu peito e depois irradiando por todo o seu corpo.

Nesse momento, você pode entrar em contato com a Essência Divina que você é, que é uma espécie de Terapeuta Interior que você traz dentro de si.

Imagine o Terapeuta Interior como um Sol dourado no centro do seu peito.

Quando sentir a presença dele, peça para o Terapeuta Interior diluir toda a angústia e outros sentimentos negativos que você está sentindo.

Depois que você diluir os seus sentimentos negativos você pode exercitar o seu poder de realização não somente com você, mas oferecendo a sua compaixão por outras pessoas, os seus entes queridos, pessoas de outros países que estão sofrendo e que estejam sensibilizando você, enfim pela humanidade inteira.

Para fazer essa doação de amor e compaixão, você pode visualizar do seu Terapeuta Interior, esse Sol interior, saindo uma luz sendo projetada para a imagem mental de cada pessoa que você quiser doar a sua energia luminosa.

Depois que doar para cada pessoa você pode imaginar a luz se expandindo para todo o Brasil, e do Brasil para todos os países da Terra, envolvendo toda a humanidade na luz crística do amor.

Esta é uma visualização terapêutica que dura em torno de 15 a 20 minutos, mas que fará uma diferença positiva em sua vida e na vida de outras pessoas nestes momentos desafiadores que estamos passando.

Toda angústia e outros sentimentos negativos se diluem quando conectamos com o nosso Terapeuta Interior, que traz em si a luz crística do amor.

Faça isso e viva em paz!

Se você gostou do artigo, compartilhe-o. Deixe o seu comentário sobre o que você achou deste artigo, ou a sua pergunta, se tem alguma dúvida. Sugestões de temas para futuros artigos também são bem-vindos!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Olá!
Precisa de ajuda?
Powered by