0
  • Carrinho vazio

    Você não tem nenhum item no seu carrinho de compras

0
  • Carrinho vazio

    Você não tem nenhum item no seu carrinho de compras

Digite a palavra chave

post

Como se motivar para a vida

Como se motivar para a vida

Em nosso artigo anterior sobre Psicologia Consciencial refletimos sobre o impulso de afastamento e o mal que ele nos faz. Neste refletiremos sobre como funciona a virtude da motivação, virtude esta relacionada a outras virtudes como à decisão, à reflexão, ao discernimento e à prontidão, fundamentais para a libertação do impulso de afastamento.
A motivação é focada nos ganhos reais para que o indivíduo, realmente, tenha um motivo para realizar a ação. Ela está centrada nos ideais de vida, fruto das reflexões conscienciais nas quais o indivíduo faz boas escolhas, de modo a se colocar decidido e pronto para viver uma vida plena de sentido.

Para que haja a motivação é fundamental que você tenha bem claro os seus porquês. Por que você realiza as ações diárias no que tange à sua vida pessoal e espiritual, à sua família, à sua profissão, à sua atuação como cidadão etc.

Pessoas que exercitam a virtude da motivação querem se aproximar da solução dos seus problemas, e fazer todos os esforços necessários para solucioná-los.
São indivíduo cheios de entusiasmo, nas quais se manifesta o divino. Eles pensam sempre nos resultados que vão obter e não no trabalho que terão para conseguir esses resultados.
Por meio desse exercício virtuoso, o indivíduo se aproxima das coisas que lhe são importantes, objetivos que geram recompensa e prazer essencial. São fiéis ao que querem e vão em busca desse objetivo, sem vacilar.
São pessoas capazes de gozar, por antecipação, a realização de um objetivo traçado, e por isso se enchem de entusiasmo e se motivam sempre, para conseguir aquilo que querem, pois, quanto mais motivadas, mais resultados positivos alcançam, aumentando, ainda mais, a motivação e o entusiasmo, em um círculo virtuoso.
Quando estabelecemos relações de prazer, de satisfação com as coisas que fazemos, tornamo-nos proativos em todas as circunstâncias. Cada um dos nossos atos leva à nossa impressão pessoal, estendendo-se, de nós para as demais pessoas, doando-nos para os demais, estabelecendo o código determinado por Deus e cantado por Francisco de Assis: “é dando que se recebe”.
Nas ações efetuadas por prazer de ser útil – portanto, filhas do amor –, vamos observar as pessoas que estabelecem uma relação de profunda efetividade e afetividade com o seu trabalho, com a família e com a comunidade. Para essas pessoas, as atividades não pesam, as horas são minutos, os anos são dias.

Você também pode gostar: O segredo da automotivação para uma vida plena  

Não é difícil encontrar espaço e tempo para mais atividades, pois, quando agem de forma proativa, produzem mais em menos tempo, sem que isso lhes pese, devido ao entusiasmo, alegria e felicidade que as atividades proporcionam.
Para essas pessoas, a vida é suave o fardo a ser carregado na própria vida é leve, porque estão mergulhadas na sua essência e distribuindo-se plenamente. Quando elas se afastam disso, aprofundam-se nas questões egoicas, permitindo-se problemas de todas as ordens, ficam agitadas e reagem.
Quando agem de forma proativa, há um grande prazer em viver, em se afirmar no mundo, em realizar o poder de realizar ações de transformação. Tudo se torna mais fácil, pois colocam o amor acima de todas as dificuldades.

Esse movimento proativo acontece porque essas pessoas veem um sentido na vida e, por isso, motivam-se, pela razão essencial de perceberem, plenamente, a vida.

Quando elas não veem um significado na vida, estão sempre reagindo nas circunstâncias nas quais a vida as convida para agir e elas, devido à ignorância e rebeldia; reagem até o momento em que despertam para o autoencontro e passam a agir, buscando se esforçar para realizar o propósito de suas existências.
Quando elas se abrem, realizam; quando se fecham, não realizam. Quando elas se abrem, são proativas, dominam as circunstâncias; quando se fecham, reagem e as circunstâncias as dominam em um processo de inibição.
O movimento essencial proativo é o de expansão, começando da própria essência e indo ao encontro de todos os que nos rodeiam. Efetivamente, é o movimento único da vida, pois os bloqueios egoicos são transitórios e transformados com o tempo.
Trata-se de um movimento de realização efetiva do nosso propósito existencial: tornarmo-nos plenamente conscientes rumando com segurança em direção à inteligência consciencial.
Esse ideal proporciona uma abertura em direção ao Ser Essencial, que preenche a vida de significado.
A motivação é caracterizada pela conscientização, fruto da reflexão, que é um ato de amor por si mesmo. O indivíduo se conscientiza de que é bom para si realizar os esforços em direção ao bem, e que, ao realizá-los, está se aprimorando espiritualmente. A consciência disso leva à realização do objetivo, pelo prazer em se autodesenvolver.
Quando o indivíduo está consciente do que quer realizar, busca envidar os esforços necessários para a efetivação do seu propósito de se tornar cada vez mais consciente e saudável espiritualmente.
O esforço maior será apenas de ele vencer a inércia de permanecer bloqueado egoicamente, pois, a partir do momento em que entra no movimento de motivação, esse esforço se torna mínimo, pois o prazer que sente nesse movimento é tamanho, é tal o entusiasmo, a alegria e a plenitude que obtêm, que faz com que ele nem perceba que está fazendo esforços.
Em vez de gastar energia se forçando a realizar ações para apenas diminuir os problemas, como no impulso de afastamento, ele se abastece continuamente com as energias essenciais e com aquelas que vêm da Consciência Cósmica Criadora da Vida, para se fortalecer em seus propósitos de desenvolver os ideais de sua vida em busca de uma maior inteligência consciencial.
O indivíduo define bem o que quer para sua vida: tornar-se mais consciente de suas ações, rumando para a felicidade e plenitude. Ele se pergunta: eu quero realmente ser uma pessoa mais consciente do sentido de minha vida e ser feliz? Quero! Quero muito! Como eu quero, eu posso, eu consigo, eu sou capaz e eu mereço desenvolver esse ideal.
Portanto, o indivíduo que resolve por exercitar a virtude da motivação tem como foco buscar o melhor para si mesmo. Buscar o seu ideal de vida. É alguém que busca sempre um movimento de valorização de si mesmo.
É uma pessoa focada nos valores positivos da vida e, como está focada nesses grandes valores, não mede esforços para realizar os seus objetivos. Por isso, ela é alguém que fará todos os esforços para concretizar os seus ideais.
Com toda a certeza, realizar ideais de vida é trabalhoso. É preciso fazer esforços para se conseguir realizá-los. Somos convidados pela vida para realizar todo um movimento em direção àquilo que queremos.

Você também pode gostar: Os 7 passos para desenvolver o equilíbrio emocional  

Equilíbrio emocional, equilíbrio nas relações interpessoais, inteligência emocional e consciencial, por exemplo, são como joias raras de grande valor. Uma joia rara tem um preço alto. O problema é que muitas pessoas querem essas joias sem pagar preço algum.
Seria semelhante a irmos a uma joalheria sofisticada, víssemos uma joia belíssima na vitrine e entrássemos lá e pedíssemos ao gerente a joia, gratuitamente. Ele vai nos dar simplesmente porque pedimos? É claro que não.
A motivação para a vida também é assim, como uma joia rara de alto valor, que podemos conquistar com o nosso esforço e dedicação, aproximando-nos dos ideais de vida e tornando-nos mais conscientes deles. Vale muito à pena pagar o preço dessa joia.
Somente conseguiremos isso exercitando a motivação para nos aproximar de nossos objetivos, focando em nossos ideais, no valor desses ideais para nós e tendo a disposição de pagar o preço para realizá-los.
Quando o indivíduo se motiva dessa forma, disposto a aproximar desses ideais de vida, vai sempre superar os obstáculos do caminho, realizando os esforços continuados, pacientes, perseverantes e disciplinados que forem necessários até alcançá-los. Ele nunca os transformará em impedimentos como aquelas que reagem pelo impulso de afastamento.
A realização dos esforços continuados vai fazendo com que o caminho se torne cada vez menos trabalhoso de trilhar.
A continuidade dos esforços pacientes, perseverantes e disciplinados termina por despender menos energia para a realização dos ideais de vida, porque a pessoa vai adquirindo os benefícios do processo de mudança num processo contínuo, diferentemente do impulso de afastamento que gasta muito mais energia, pois alterna processos de forçar a diminuição dos efeitos dos problemas e o desânimo, fazendo com que a pessoa esteja sempre recomeçando todo o processo.
É como alguém dirigindo em um tráfego congestionado sempre em primeira marcha, parando e recomeçando o trajeto. A quantidade de energia (combustível) que é gasta é muito maior do que se houvesse um fluxo contínuo.
Na motivação para se aproximar dos valores profundos da vida, resolvendo a causa dos problemas de toda ordem, os benefícios resultantes do processo de mudança vão sendo conquistados, e, quanto mais o indivíduo se beneficia, mais energia vai ter para despender, porque os próprios benefícios vão fortalecendo a motivação e a vontade.
Deixe o seu comentário sobre o que você achou deste artigo, ou a sua pergunta, se tem alguma dúvida. Sugestões de temas para futuros artigos também são bem-vindos!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Olá!
Precisa de ajuda?
Powered by