0
  • Carrinho vazio

    Você não tem nenhum item no seu carrinho de compras

0
  • Carrinho vazio

    Você não tem nenhum item no seu carrinho de compras

Digite a palavra chave

post

Como manter o casamento saudável

Em nossos artigos anteriores refletimos sobre os conflitos no relacionamento conjugal entre Alice e Alberto. Abordamos que para superar esses conflitos Alice e Alberto são convidados a desenvolver duas técnicas: o silêncio proativo e o diálogo proativo. Neste artigo, refletiremos sobre como realizar o diálogo proativo.
Como vimos no artigo anterior o diálogo proativo é a forma adequada de manter um relacionamento conjugal saudável, mesmo que somente um dos cônjuges tenha despertado para uma relação assim.

Leia os dois artigos anteriores:

Para que o casal evite o clima de confronto e discussão que gera uma energia tóxica que mina a relação é fundamental observar as seguintes dicas para que o diálogo seja proativo.

  • Saber ouvir: Busque ouvir o que é certo e útil, tudo o que faz sentido naquilo que seu/sua parceiro(a) diz.

Se fizer isso, estará ouvindo com o objetivo de aceitar a informação que ele ou ela está oferecendo. Estará buscando a intenção positiva da fala do outro, com foco no sentimento de aprendiz, virtude intimamente conectada com a humildade e a mansidão, para poder convergir com o outro, ao invés de divergir.
O contrário de ouvir para aprender é ouvir para rejeitar o que o outro fala. Agindo assim o foco é na divergência, atitude na qual a pessoa ouve para perceber o que há de errado no que seu/sua parceiro(a) diz para poder confrontá-lo(a).
Se seu/sua parceiro(a) disser alguma coisa que para você não faça sentido, busque, antes de falar que aquilo é errado e que você não concorda, fazer perguntas que esclareçam o que há de útil ou interessante no que foi dito, focado na convergência de opiniões e não na divergência.

Para conseguir ouvir:

Para conseguir ouvir dessa maneira, é imprescindível buscar um relacionamento no qual somos convidados a aceitar o que o outro pensa, sente e valoriza com compreensão e benevolência. O ato de ouvir expressa e fortalece o amor.

  • Explique o que você quer e não aquilo que não quer – é muito comum expressarmos com facilidade aquilo que não queremos em detrimento do que queremos. Expressar o que queremos auxilia na convergência de opiniões.
  • Reclamação – está relacionado à dica anterior, porquanto ao dizer o que não queremos, reagimos reclamando do que não gostamos sem dizer claramente aquilo que gostamos e queremos. Em vez de reclamar, peça claramente o que quer do seu/sua parceiro(a).
  • Expressar os sentimentos no diálogo – essa dica é muito importante. Muitas pessoas em vez de expressar o que sentem, ficam esperando que o outro adivinhe os seus sentimentos.

Usam o chamado “gelo”, o silêncio verbal, que analisamos no primeiro artigo sobre os conflitos no relacionamento e que, na verdade, é um processo de tentar manipular a relação com o outro.
É fundamental expressar claramente os sentimentos. Dizer, por exemplo: eu me sinto insatisfeito(a), ansioso(a), nervoso(a), indeciso(a), satisfeito(a), feliz etc., quando você age dessa forma… Sempre colocar os sentimentos e o motivo disso, evitando acusar o outro, dizendo, por exemplo, você me deixa ansioso(a), nervoso(a), infeliz etc. Esse movimento de atribuir ao outro cônjuge sentimentos que são nossos é falso porque ninguém tem o poder de gerar sentimentos em nós, sejam eles positivos ou negativos. Agir assim, só gera acusações que minam o relacionamento.
Em um próximo artigo continuaremos com mais dicas para manter o casamento saudável.
Se gostou desse artigo não deixe de comentar e compartilhar. Espero ter ajudado!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Olá!
Precisa de ajuda?
Powered by