0
  • Carrinho vazio

    Você não tem nenhum item no seu carrinho de compras

0
  • Carrinho vazio

    Você não tem nenhum item no seu carrinho de compras

Digite a palavra chave

post

Como se libertar das compulsões

Como se libertar das compulsões

Neste artigo, vamos refletir sobre como surgem as compulsões por sexo, drogas, compras, dentre outras e como se libertar delas.

 No processo de desenvolvimento da saúde emocional é fundamental desenvolver a consciência de nós mesmos, como Seres Essenciais que somos, Espíritos num processo de evolução.

Grande parte das pessoas ainda está em um nível de subconsciência em relação à vida e a si mesmas.

A subconsciência é responsável pelo comportamento instintivo e por atividades mecânicas realizadas de forma subconsciente.

Realizamos muitas atividades em nosso dia-a-dia de forma subconsciente, pois nem percebemos aquilo que fazemos.

Nesse nível lidamos com os hábitos que criam uma fixação da mente nos instintos primários.

Hábitos e automatismos necessitam ser disciplinados pelo esforço e pela vontade consciente.

Nós trazemos muitos pensamentos subconscientes que necessitam ser conscientizados para serem transformados.

São pensamentos que são tão subconscientes, que se tornam automáticos.

Quando o Ser ainda se debate na subconsciência há uma fixação no movimento hedonista de culto aos prazeres.

O indivíduo vive para obter prazer que vai ser auferido por meio do desejo de poder, de dominação, de conquista de riquezas, de prazer sexual, de domínio de outras pessoas, de drogas que anestesiam a consciência etc.

A pessoa que está nesse nível pensa somente em si mesma, na sua satisfação, mesmo que seja em detrimento do outro.

Tem um movimento profundamente egoístico e egocêntrico, exatamente porque vive para obter prazer.

A subconsciência pode degenerar em psicopatias que dão surgimento aos ditadores, desde os tiranos domésticos, até os que dominam países inteiros, no qual o orgulho, o egoísmo e o egocentrismo atingem o auge.

Apesar de buscar o prazer, o tempo todo, o indivíduo fixado na subconsciência não se plenifica.

Quanto mais a pessoa busca o prazer, mais insatisfação produz.

Leia ainda: Você sabe qual o maior propósito de sua vida?

Quando se satisfaz com algo que lhe traz prazer, logo se entedia e busca outra coisa, em uma procura desenfreada.

Por isso, ela vive em um processo de extrema insatisfação.

As compulsões surgem exatamente dessa busca desenfreada.

A pessoa sente um vazio interior e, por isso, busca o objeto da compulsão, tais como o sexo, as drogas, as compras etc.

Após adquirir o objeto da compulsão, o vazio aumenta e ela busca mais e mais.

Quem usa drogas, como a cocaína, faz isso o tempo todo até chegar ao ponto de se suicidar com uma overdose, por exemplo, caso não resolva despertar a consciência e mudar esse ciclo vicioso.

É devido a essa insatisfação que a pessoa termina por querer superar esse nível de subconsciência, cedo ou tarde, pois ela gera um tédio tão grande que o indivíduo deseja mudar.

Quando esse desejo surge, ela é impulsionada para o seu despertar, ou seja, para outra realidade, a consciência.

Entretanto, nesse momento ela é convidada a transformar o simples desejo em vontade de autotransformação.

O nível consciente significa a plena consciência de nós mesmos, como Seres Humanos, que têm o compromisso de superar os instintos primários.

É importante nos conscientizarmos de que, como Seres Humanos, somos convidados a transcender o instinto animal, que busca apenas o conforto para o estômago e saciar as necessidades sexuais.

Nós somos pessoas convidadas a transcender esse prazer sensualista.

É fundamental, despertar o divino em nós, impresso em nossa própria consciência.

Você vai gostar de ler: Saiba como o sentido existencial impacta a sua vida

O despertar da consciência para o dever é fundamental para se superar o nível subconsciente de vida, egoístico e egocêntrico.

Na consciência desperta o prazer adquire outro sentido.

O indivíduo começa a pensar nos demais.

Transcende o próprio ego, a concepção egoística e egocêntrica em que vivia, e passa a ver os outros à sua volta.

Passa a ter prazer em ajudar, em ser útil.

 Torna-se idealista, desenvolve sentimentos como a compaixão e a solidariedade, realizando-se mediante a construção da felicidade do próximo, fundamental para que construa a própria felicidade.

Quando a pessoa desperta a consciência ela busca outros tipos de prazer que plenificam, tal qual o contato com a natureza.

Ela sente muito prazer em contemplar o nascer ou o por do sol, encanta-se com uma flor desabrochando e com outras pequenas maravilhas que a natureza nos oferece.

A pessoa subconsciente pisa em cima da flor e ou até arranca-a do caule porque a admira e vai embora, levando-a para casa, para logo jogá-la fora por estar murcha.

A pessoa consciente vê a beleza da flor e se encanta, contemplando-a, porém a deixa na planta para que outras pessoas também possam admirar essa flor.

Ela se identifica com aquela beleza e, com isso, passa a contemplar a vida com outros olhos, com muito mais satisfação.

Quanto mais consciente for a pessoa mais prazer ela sentirá em uma conversação agradável e edificante, prazer de ser útil à comunidade em que vive, gerando alegria de viver.

Enfim, ela se satisfaz com pequenas coisas que fazem uma grande diferença para a pessoa que está nesse nível de consciência, caminhando para a superconsciência, que é a nossa destinação final.

A superconsciência é a nossa futura destinação que começa, aqui e agora, com o despertar consciencial, tendo como base os ideais superiores saudáveis a serem alcançados, desenvolvendo-se um estado elevado de consciência.

A elevação da consciência é fator fundamental para a conquista de energia mental saudável.

Ela é conseguida, desenvolvendo-se a fé em Deus, a autoconfiança, o autoamor, a autoeducação, a oração e o trabalho para o bem de si próprio e do próximo.

Ao desenvolver esses valores o indivíduo reafirma os seus valores éticos, que propiciam paz de consciência, gerando saúde emocional, psíquica e física.

 

Se gostou do artigo, compartilhe-o. Deixe o seu comentário sobre o que você achou deste artigo, ou a sua pergunta, se tem alguma dúvida. Sugestões de temas para futuros artigos também são bem-vindos!

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Olá!
Precisa de ajuda?
Powered by